Pages

Subscribe:

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Da Liberdade Ilusória

Liberdade, conceito amado por todos, o homem busca liberdade, busca ser livre. Liberdade: Autonomia, Ausência total de Determinação ou Servidão, Independência, Espontaneidade, segundo alguns ser livre é agir segundo a própria Natureza, dar vazão aos seus desejos e anseios mais profundos. Podemos dar inúmeras explicações e inventar inúmeras formas de conceituar este estado que segundo Sartre é essencial no ser humano, mas afinal o que é realmente Liberdade? Será possível assumir algum dos conceitos acima de forma plena? Vamos analisá-los e descobrir.
Autonomia, direito de o indivíduo estabelecer suas próprias normas, e assim tomar suas decisões pautadas apenas em sua razão. Temos no presente caso, segundo minha opinião, uma super valorização da razão como capaz de ser guia absoluta de nossas ações. Não creio que exista no mundo algum ser humano capaz de se libertar totalmente de suas emoções para se guiar apenas pela razão, mesmo porque, hoje os estudiosos concordam que a razão apresenta limites bem demarcados e assim, ela por si só é insuficiente pra guiar nossas ações.
Ausência total de Determinação ou Servidão, ou seja, Independência total de outros indivíduos e do meio. Uma grande ilusão, não é possível deixar de sofrer determinação e influência do meio em que vivemos, somos moldados pelo meio e acabamos por nos encaixar no “sistema”. Por exemplo, nosso pudor em mostrar o corpo desnudo, enquanto na África mulheres andam com os seios descobertos tranquilamente, nem precisamos ir tão longe, basta ver algumas tribos do interior da Amazônia brasileira.
E essa determinação social muitas das vezes é inconscientemente reproduzida a ponto de acharmos natural, nós naturalizamos essa regra de conduta, esse acordo tácito, esse contrato social, usando a linguagem de Rousseau, até que ponto somos determinados pelo meio é outro ponto a se discutir, mas ignorar a determinação social que age em nós como a gravidade age nos corpos é absurdo.
Outro erro, e este é característico de nossa geração, é encarar a liberdade como total ausência de regras, leis, valores morais e estatutos, nesse sentido Liberdade acaba por ganhar um caráter negativo e é geralmente ligada a infração e transgressão. Assim ser livre é transgredir as regras, e isso pode trazer conseqüências funestas tanto para o indivíduo quanto para o meio em que ele está inserido.
Logo, nesse sentido, é impossível ser livre, pois sempre sofreremos algum tipo de determinação ou coação, seja ela explícita (as leis) ou implícita (normais sociais de conduta), estão sempre nos “moldando”, existem sempre várias forças agindo sobre nós e nós reagimos a elas como bem determina a terceira lei de Newton. Então o que é realmente ser livre? Ser livre não é estar livre da determinação social, e sim ter conhecimento dela e poder escolher se segue o fluxo ou não. É saber a hora de ir contra a multidão, é a possibilidade de escolha, a verdadeira condição de Liberdade não está em transgredir as regras só por transgredir num acesso de rebeldia sem causa, e sim tendo a possibilidade de não seguir algo escolher caminhar em determinada direção. Somos livres inclusive quando podemos escolher nos submeter a vontade que não seja a nossa por algo maior, os animais seguem sua própria natureza e nem por isso são livres, pois sofrem a determinação do instinto, apenas o Homem tem a possibilidade de ser realmente livre, mas só é livre de verdade quando pelo conhecimento das determinações e coações que agem nele escolhe o que fazer. Por mais paradoxal que possa ser só somos livres quando servimos conscientemente


4 comentários:

  1. Querido Arcanjo!

    A Liberdade não é isolada, ela acompanha outros componentes como Responsabilidade e Direito...
    Esses direitos são necessários para se encontrar, de uma forma ou de outra, os caminhos, as metas e os objetivos de cada indivíduo - tanto para o bem, quanto para o mal, ou seja, a liberdade será determinada pelos seus princípios de "direito": o errar e o acertar.
    A liberdade, antes de tudo, deve ser vista com responsabilidade. A responsabilidade de nossos atos é fator sumamente importante para que possamos fazer jus a "essa tal liberdade"...

    Rico texto!

    Beijos libertos.

    ResponderExcluir
  2. Linda Flor, acredito que o que hoje encaramos como "liberdade! a visão que temos de confundir liberdade con transgressão, saciedade de todos os desejos e falta de responsabilidade é fruto do comportamento hedonista e individualista assumidos por nós como "modus vivendi" e isso gera toda uma série de problemas que vão impedir nosso desenvolvimento tanto individual como em sociedade, enfim é um desafio este de irmos contra o fluxo que nos impulsiona a confundir Libedade com libertinagem. Mas é um desafio que assumi e acredito que muitos como eu também assumira. Beijos Anjelicais deste seu amigo que te admira muito.

    ResponderExcluir
  3. Seu blog é muito interessante...
    Estou te seguindo.... Tenha um Lindo Dia!
    Siga meus Blogs: http://cartasdeumcoracao.blogspot.com/
    E
    http://deusemminhaalma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Maycon...
    Vim conhecer seu espaço e te convidar para conhecer o meu.
    Um bom fim de semana pra vc!
    Com muita alegria, risadas...gargalhadas!!!
    Muita paz!
    Bjs
    Te espero em minha casa
    borboleta
    www.voandocomborbolletas.blogspot.com

    ResponderExcluir